sobre

A pandemia da Gripe Espanhola

No ano de 1918, uma gripe diferente de todas as outras aparece nos Estados Unidos. Causada por um vírus novo, trinta vezes mais letal que o vírus comum, a doença logo chega à Europa e se espalha pelo mundo inteiro. É a pandemia da Gripe Espanhola, que persistiria em algumas partes do mundo até 1920. Morreram, no mínimo, 50 milhões de pessoas.

Em poucos meses, a doença já havia causado mais mortes do que a 1ª Guerra Mundial, iniciada quatro anos antes (1914) e que terminaria em 1918, quando a pandemia começou. Nem antes, nem depois, houve pandemia mais fatal na história da humanidade em espaço de tempo tão curto. A peste negra, por exemplo, de acordo com as estimativas, levou cinco anos, durante o século 14, para dizimar 25 milhões de pessoas na Europa.


Legenda: Policiais nas ruas da cidade de Seattle, nos Estados Unidos da América, vestindo máscaras durante o surto da Gripe Espanhola em 1918 (Foto: National Archives at College Park).

A gripe espanhola começou na Espanha?

Não! Como o mundo passava pela 1ª Guerra Mundial, os exércitos controlavam as informações que considerassem estrategicamente desfavoráveis e a censura bloqueava a liberdade de imprensa. Mas a Espanha se manteve neutra na Guerra e, a imprensa espanhola divulgou o terror causado pelos 8 milhões de infectados pela “fiebre de los tres días” -- que atingiu até o rei Alfonso 13. França e Inglaterra, contudo, já contavam milhares de mortos antes dos primeiros casos na Espanha. As circunstâncias, portanto, batizaram a gripe de “espanhola”.

Até hoje, o lugar de nascimento do vírus permanece desconhecido. Entre as teses mais aceitas, uma estabelece a origem no próprio Estados Unidos. A outra, na China, trazida ao continente norte-americano por soldados infectados. A Europa, porém, não é totalmente descartada como ponto de partida da epidemia.

E o nome “Influenza”?

A palavra influenza é italiana, e era utilizada para designar diversas doenças (influenza di febbre scarlattina, influenza di catarro etc). Em meados do século 18, a influenza di catarro se espalhou pela Europa, e acabou ficando conhecida por apenas influenza, inclusive na língua inglesa. Na era vitoriana, a palavra foi abreviada para “flu”. Ainda hoje, usamos ambas as formas para nos referirmos à doença.


Legenda: Enfermeiras voluntárias da Cruz Vermelha retirando macas das ambulâncias para atender as vítimas da Gripe Espanhola em Camp Denves, Massachusetts (Foto: The National Archives and Records Administration).